Animais são princípio inteligente ou espírito?

“Deus não sopra um espírito e ali nasce um corpo”, esta frase tão elucidativa de Ismael Alonso, já justificaria o motivo de o Espiritismo ser considerado uma doutrina da lógica e do amor.

Na resposta à questão 607 de o O Livro dos Espíritos, da 2ª edição lançada em 1860, há um trecho muito interessante, que frequentemente causa confusões sobre os animais: “(…) Nesses seres, cuja totalidade estais longe de conhecer, é que o princípio inteligente se elabora, se individualiza pouco a pouco e se ensaia para a vida, conforme acabamos de dizer (…)”.

Usa-se muito a denominação de princípio inteligente para animais e espíritos – muitas vezes com “E” maiúsculo enfatizando um egocentrismo velado – para os humanos. No LE, na questão 23, a Falange da Verdade é clara em dizer que a definição de espírito é “O princípio inteligente do Universo.” Portanto, pela semântica, não há diferença entre “princípio inteligente” e “espírito”. Na prática, os animais possuem o espírito ou o princípio inteligente em estado rudimentar de consciência, e em estado latente de moralidade. É do que tratam tantas questões no LE, como a 597 e a 598, e a própria 607, em detalhes.

O processo de aprendizado em cada fase evolutiva (mineral, vegetal, animal e hominal) é essencial para que possamos progredir de acordo com a Justiça Divina.Nas sábias palavras do benfeitor Emmanuel, em 1938: “Os animais têm a sua linguagem, os seus afetos, a sua inteligência rudimentar, com atributos inumeráveis. São eles os irmãos mais próximos do homem, merecendo, por isso, a sua proteção e amparo.”

 

Conheça a pequena Miss Sunshine:

 

Fonte: http://tvmundomaior.com.br/editorial/animais-sao-principio-inteligente-ou-espirito/

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.